Blog Vitrine Mulher
Blog 26/10/2011Categoria(s):   Comportamento e reflexões  

Tem alguém me escutando?

Escutei esta frase no sábado passado quando assisti o filme “Quarto Poder” com Jonh Travolta no papel de Sam, um segurança e Dustin Hofman como Max, jornalista. Aliás quem não assistiu vale a pena. Aborda o desemprego do segurança de um museu que no momento de desespero retorna ao museu armado e com dinamites para falar com a proprietária tentando retomar seu emprego, e no mesmo momento está o jornalista que tinha feito uma entrevista. No momento que Sam aborda sua antiga chefe, Max foi ao toalete e tudo assiste. Sua assistente já esta fora do museu. Acidentalmente Sam atira no segurança do museu desencadeando todo o contexto do filme. Max está com sua carreira em baixa e observa esse momento como uma oportunidade de revalidar sua carreira. O resto vocês devem imaginar. Um jornalista criando uma oportunidade de mostrar ao mundo um furo de reportagem, vivenciando o processo e ao mesmo tempo o relatando.

No decorrer do filme Max consegue colocar Sam em rede nacional e entrevistá-lo de forma exclusiva. Sam não imagina a abrangência que o fato tomou no pais e durante a mesma, diz que é um pai de família desempregado e apenas quer seu emprego de volta e não é um terrorista. Então pergunta sem a exata noção que o todo o país está parado lhe ouvindo: Tem alguém me escutando?

Esta pergunta para mim foi o máximo. Ao que remete? A tudo. Ao nosso mergulho diário dentro do nosso “self”, as crises, a solidão, as dúvidas, a necessidade que temos de ter alguém nos escutando verdadeiramente. Até dependendo da nossa crença olhamos para cima e perguntamos: Tem alguém me escutando?

Por que precisamos tanto que nos escutem? Porque somos essencialmente humanos. E como humanos nos relacionamos, nos aconchegamos, esperamos aprovação, como quando na infância esperávamos o sorriso daqueles que nos criaram, aprovando nossa brincadeira ou descoberta e então continuamos. Se a cara era feia, parávamos imediatamente. Era assim, pelo menos antes, porém atualmente parece que o antigo código da forma de educação universal já não funciona com a criançada.

Mas nesse momento eu remeto a: Tem alguém me escutando nesse blog? E então percebo que diferentemente de um diário que fechamos em cadeado e guardamos a sete chaves para ninguém descobrir nossos segredos, com um blog esperamos que as pessoas acessem e postem suas opiniões. Dividir, compartilhar, expor. Aguardar para ver o efeito dos textos.

Porém é um delicia! Cada fragmento de momento vivido e dependendo do ocorrido eu penso: Dava para colocar no blog. Devo confessar que comigo tudo é amplificado, porque acontece cada coisa (rsrsr)!!!. Como diz uma amiga minha, Lu você não paga mico, você paga king kong, que com certeza serão escritos neste blog, tanto os do passado bem como os do futuro. Porque até king Kong vira Vitrine, porque rir é necessário e soltar nossa criança é saudável.
E sei que sempre vai ter alguém me ouvindo como tem sido sempre na minha vida, ao longo da minha estrada.

Vai aqui meu MUITO OBRIGADA aos meus amigos pois sempre me senti muita OUVIDA. E você, tem alguém lhe escutando?

Beijos,

Postado por Luciana Corrêa      Nenhum comentário até o momento.

Comente essa postagem!

Todos os campos são obrigatórios
Postagens Anteriores


Factos - Promoção, Marketing e Eventos Ltda - C.N.P.J. : 02.924.796/0001-02
Rua Ernesto de Paula Santos, 1368 Salas 603/604, Boa Viagem , Recife-PE CEP: 51.021-330
Vitrine Mulher - © Copyright e Produção: Luciana Corrêa Ι Todos os direitos reservados

Ser Digital