Blog Vitrine Mulher
Blog 11/08/2012Categoria(s):   Comportamento e reflexões  

Vacas holandesas!

Com certeza não sou da pecuária e nem vou falar tecnicamente das queridas vacas holandesas que chegam a fornecer 40 litros de leite por dia. Tive a oportunidade de estar numa fazenda na cidade de Castro no Paraná na semana passada e tive contato com estas lindinhas e aproveitei para observar as mesmas, lógico!

Tranquilamente sem pressa passam seu dia a pastar, ruminar e observar. E como observam! Chegam a parar e ficam nos olhando com uma curiosidade impar, fixando seu olhar e nos acompanhando em cada passo. Assim me perguntei, porque não aprendemos a observar mais antes de nos atirarmos sem nossos pára-quedas, com a calma da natureza quando está em paz?

Da mesma forma que as queridas holandesas estando em grupo convivem sem grandes alardes, talvez intuindo que sua função será gerar leite e se doar todos os dias. Ao pastarem o fazem com uma calma para se alimentar sem nenhuma pressa, pois nada as farão sair correndo para atender um celular que toca desesperado na hora do nosso almoço ou os gritos do chefe ou cliente desesperado que estourou o prazo de entrega do relatório que nos foi pedido há 01 hora, mas que ele já sabia a 03 dias que era para ser produzido.

Outra curiosidade: como os grupos elas mantém também um representante na liderança. Estavam todas tranqüilas e uma decidiu sair do campo que estavam e se dirigir para outro pasto. Ao olharem a “colega” saindo, todas as seguiram e ali ficaram quietas continuando seu pasto em outro lugar. Não vi nenhuma com “atitude” – aqui eu fico e não quero nem ir para outro lugar. Somos assim também. Nos nossos grupos temos os nossos lideres e que apenas seguimos sem nada questionar.

E assim são os animais que convivem em bando, sobre regras intrínsecas que são instaladas naturalmente e que se segue porque ali está há muito tempo.

E nós, seres humanos? Por pensar, questionar e contrapor muitas vezes nos comportamos diferentemente do grupo social que convivemos e somos banidos pois infringir a regra do grupo pode não ser adequado. Leiam que estes contrapontos têm como principio o que não fere a energia do bem, do respeito e da ética comportamental. Mesmo seguindo esta premissa, ser diferente incomoda e às vezes ficamos em outros pastos longe dos nossos grupos ou o que foi um dia, porque passamos a pensar e agir diferente do esperado. Isto pode ser chamado por alguns de rebeldia ou simplesmente evolução, pois nossa sociedade desde que se instalou no planeta Terra só cresceu porque questionou, discordou, teimou e avançou para fazer da atual o que ela é hoje. Evoluímos tecnologicamente e demais nas áreas que estruturam a existência humana. Na esfera comportamental com certeza estamos bem diferentes. E não vou aqui mencionar as atitudes da maldade ou violência que assistimos todos os dias. Vou ressaltar os seres humanos que valem à pena. Que são bons, solidários, amigos e companheiros. Basta ver como nos mobilizamos quando outros grupos precisam da gente nos momentos de necessidade e em nos juntamos e ajudamos de forma incansável.


E voltamos então às vacas holandesas e talvez aprender um pouco com elas: algumas vezes temos que parar, observar, ruminar, ficar no pasto “dando um tempo” e dar um nosso leite a quem merece.

Concorda?

Beijos

Luciana Corrêa by Vitrine Mulher

Postado por Luciana Corrêa      Uma pessoa comentou essa postagem

1 comentário

Comente essa postagem!

Todos os campos são obrigatórios
Postagens Anteriores


Factos - Promoção, Marketing e Eventos Ltda - C.N.P.J. : 02.924.796/0001-02
Rua Ernesto de Paula Santos, 1368 Salas 603/604, Boa Viagem , Recife-PE CEP: 51.021-330
Vitrine Mulher - © Copyright e Produção: Luciana Corrêa Ι Todos os direitos reservados

Ser Digital